Post Jobs

Estamos preparados para a batalha da concorrência?

O mercado não poupa amadores. Nem mesmo as grandes empresas, com solidez financeira e seus centros de inteligência, estão a seguro quanto ao movimento da concorrência. Quando nos preparamos para abrir uma empresa, sem que nos atentemos a isso, somos concorrentes daqueles que já atuam no setor e têm consumidores garantidos.

Por isso procuramos um diferencial. Ou seja, queremos seduzir de alguma forma um público que conhecemos e sabemos de suas exigências, bem como sabemos o que eles têm em mão (se não sabe nada disso, é melhor colocar a barba de molho) . O produto ou serviço que geramos deve ter, portanto, esse DNA da novidade, para que não sejamos apenas mais um. Porque sabemos também que, na relação fornecedor/consumidor, a fidelidade termina no mesmo instante em que algo de melhor nasce.

Devemos estar preparados para essa batalha. Mas o que acontece quando o novo entra no mercado de forma inesperada e exatamente naquele momento em que não estamos bem financeiramente? Uma catástrofe. Essa catástrofe é mais comum do que se imagina, porque o mercado mudou e ficou muito mais dinâmico, ágil, concorrido do que nunca. Ou respondemos a essa velocidade e necessidade do mercado ou deixamos de existir.

Vagas

Vamos lembrar um exemplo recente, que tem tudo para deixar mortos e feridos. As grandes locadoras de veículos estavam felizes, porque haviam descoberto espaço em um bom e velho mercado: o de venda de carros usados. Assim, começaram a roubar terreno das montadoras. Com isso, dispararam em rentabilidade e encheram a burra de dinheiro, aproveitando circunstâncias da realidade.

Tudo beleza, ok? Que nada. As montadoras reagiram e… A Toyota decidiu entrar no mercado de locação de veículos para fazer frente à locadoras e o jogo se inverteu. O foco da Toyota é ser uma empresa de: “mobility as a service” e não apenas uma “produtora” e “revendedora” de carros. Quando uma empresa japonesa decide entrar em um mercado, mesmo que consolidado, tudo muda, porque eles são extremamente conservadores, metódicos, ricos e não dão ponto sem nó.

A Localiza, por exemplo, não tem a menor ideia do que isso pode resultar em seu faturamento futuro. Só sabe que terá em seu encalço uma potência capaz de lhe comer pelas pernas. E agora? Pois é. Isso é mercado. Todas as empresas devem estar preparadas para isso, ou ver a morte no espelho sem nada poder fazer para reverter esse presságio.

O post Estamos preparados para a batalha da concorrência? apareceu primeiro em Portal Carreira & Sucesso.

Fonte: https://www.catho.com.br/

Ultimas Vagas

Comentários no Facebook